quinta-feira, 24 de novembro de 2011


Esses dias tão iguais, tão sedentários, tão usuais, tão desanimadores... essas vidas tão comuns, tão mal vividas, tão desperdiçadas, essa noites viradas, esse cansaço emocional, esse pensamento irracional, esse querer desesperado, essa espera angustiante... Essas palavras que se procuram, que tentam se encaixar para formar um texto que diga algo, essas palavras paralelas que se cruzam, essas palavras que estão engasgadas, entre linhas e entrelinhas, essas palavras que ninguém sabe dizer, palavras perdidas, jogadas ao vento... Essa eterna busca de entendimento sobre tudo que acontece e que eu, por pouca vivência e inexperiência ainda não sou capaz de explicar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário