sábado, 28 de janeiro de 2012

O amor também me assusta, de certo modo. Assusta por ser como uma noite de verão em que você sai despreparada e uma tempestade te encontra no caminho, mas ao invés de você reclamar por estar toda molhada você sorri, um sorriso besta, um sorriso desprotegido, um sorriso demasiadamente bobo. E houve um beijo assim, um beijo com sabor de chuva, mas que ficou em uma história que não fez história. Um beijo que ele deixou permanecer, aqui, molhado em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário