quinta-feira, 21 de junho de 2012

Ainda sinto de maneira doentia o frio causado pela dor da sua partida. A chuva cai lá fora, e cada gota me faz lembrar dos momentos que vivi ao seu lado,  a maioria deles desgastantes, pois discutíamos muito, mas foram especiais, faz falta ter alguém pra argumentar, pra me fazer ver que eu estava errada, e que minha visão centralista ia acabar me sufocando em algum momento da minha vida. Sabe, ontem a noite eu estava quase adormecendo, e tive um devaneio, ouvi aquela melodia que você cantava pra mim, senti teu cheiro, e teu calor, e me assustei, ao abrir os olhos e ver que você não estava aqui, que tudo não passou de um sonho, e me entristeci ao ver que esse sonho nunca mais irá se realizar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário