sábado, 14 de julho de 2012

" Sou como um rascunho mal feito
Um cego a vagar
Sem rumo, me desarrumo
E me perco nesse texto
Que leio e releio, afim de encontrar
Uma resposta sobre ti, afim de saber
Por onde anda você, e na tentativa de esquecer
Me aproximo ainda mais, e chego tão perto
O tiro certeiro acerta meu travesseiro
E por pouco não acerta
Minha cabeça incerta
Talvez seja demais, mas ainda é algo que eu posso suportar
Vou seguindo o caminho, virando noites a bailar
A canção descompassada, que extraio do fundo da minha alma. "

Um comentário: