domingo, 26 de fevereiro de 2012

A chuva cai lá fora, a persiana está fechada, daqui de dentro do meu quarto ouço o barulho das gotas que caem, quebrando assim o silêncio que a sua ausência me causa. Aquele retrato que tiramos na primeira vez que nos vimos permanece aqui, o seu cheiro ainda faz parte desse ar que respiro, sua camiseta ainda se encontra jogada na cabeceira da minha cama, e nossos momentos permanecem intactos dentro de mim. A saudades insiste em me perturbar, tenho devaneios durante toda a madrugada, te vejo vagando pelos corredores, ouço a sua voz doce dizendo que me ama... Devo estar enlouquecendo, o fato é que o vazio que você deixou em mim me deixa sem forças.

sábado, 25 de fevereiro de 2012


Ô moça, tem uma música que diz " Ah se eu fosse poeta saberia como me defender, mas eu sou só mais um garoto imbecil a se repetir..." 
Sempre que escuto me lembro de mim, e de ti também, e das nossas vidas, que apesar de tão usuais e diferentes se cruzam de uma maneira tão certa, e mesmo sendo tão diferentes nós somos tão parecidas, você consegue ver?
Nós não somos poetas, nem sabemos como nos defender, mas estamos aprendendo a ser fortes com a vida, a enfrentar todas as tempestades firmemente, e a pisar nessa areia movediça sem medo de nos afundar, descobrimos que temos uma a outra, e isso, sem dúvidas, é um motivo a mais pra seguir em frente sorrindo.
Esse texto ficou meio vago, talvez sem sentido. Só quero te dizer que eu estou extremamente feliz de estar perto de ti, e farei o que estiver ao meu alcance pra ver você feliz.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

(DES)APEGAR

Nesses últimos meses muitas pessoas passaram pela minha vida, elas vieram e foram, e eu sempre achei isso tão estranho, tão confuso... Porque o laço nasceu para ser cortado? Porque as melhores coisas acabam no momento mais intenso? Sabe, eu fingi tanto tempo ter certeza demais, agora percebo que não sei nada que pensava saber, que por mais que eu tente não vou conseguir compreender esse tipo de coisa,  e preciso praticar o desapego, pois algumas pessoas vão e não voltam mais, e por mais que seja ruim pra mim eu tenho que me acostumar com essa realidade. Me pergunto quando irá surgir alguém que vai ficar, e se apegar a mim também, me pergunto se terei a chance de ficar em estado eterno de felicidade ao lado de alguém que me ame, me pergunto porque tenho que passar por todos esses processos tão dolorosos, enfim, me faço tantas perguntas... Mas não posso reclamar, a vida tem sido bastante generosa comigo, devo confessar que amadureci bastante, e tenho que juntar forças pois sei que ainda tem muito chão pela frente.

" Eu só queria voltar pra casa... "

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Quantas voltas ainda vou dar até encontrar um local seguro? Quantas vezes vou cair, me ferir, chorar, lamentar? Quantas vezes eu vou ver pessoas entrando e saindo da minha vida, quantas vezes vou perder as esperanças?


" São tantas derrotas
que já não sei onde guardar
e mentir as vezes cansa.
Tantas vezes tentei
agarrar cometas que nunca pude alcançar. "



Sabe, às vezes acho que  me despir e deixar as feridas à mostra é mais fácil, me fingir[e tentar] ser forte não está ajudando tanto assim.




Melissa

Você se lembra desse dia? Foi a primeira vez que nos vimos, você estava tão tímida... Lembra de como esse dia foi tão ruim por um lado, e tão especial por outro? Descobrimos tantas coisas em tão pouco tempo, ficamos admirando o céu azul durante toda a tarde, foi tão especial. Sabe, eu sinto a sua falta, sempre que vou à praia me lembro de ti, da nossa tarde de verão, tão estranha e tão perfeita, espero te reencontrar um dia desses, vê se aparece.




"  Lembro das tarde que passamos juntos... "

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Rascunho?

Eu era o caderno em branco e você a caneta, e aos poucos você foi me preenchendo com palavras, desenhos, anotações, recordações, memórias, momentos, e sentimentos... Até que a sua tinta se acabou, e você se foi, deixando em mim registros de um passado maravilhoso.